• Elofy

Como fica a gestão de recursos humanos na era coronavírus?

Atualizado: Nov 17



A gestão de recursos humanos - chamada mais recentemente de gestão de pessoas - pode ser entendida como uma cultura que depende de diversos aspectos e contextos das organizações, e que trata das ações adotadas com e para os recursos humanos da empresa. Divide-se em processos, tais como o recrutamento, a seleção, o treinamento, as recompensas e a avaliação de desempenho. Sendo relativamente recente no Brasil, a área foi desenvolvida para pensar nos objetivos a longo prazo da empresa, entender os fatores externos à organização e melhorar a relação entre ela e os seus funcionários.

O RH tem um papel estratégico para a empresa e serve como um mediador de conflitos, buscando sempre as melhores soluções para a manutenção do bem-estar do trabalhador e do aprimoramento do clima organizacional. Engana-se, porém, quem pensa que a área é apenas um instrumento administrativo para gerir as pessoas. Também relacionada à psicologia e à sociologia, a gestão de pessoas trata das questões que cercam o capital humano das empresas, incluindo:

  • Motivação

  • Comunicação

  • Produtividade

  • Comprometimento

  • Participação

  • Qualidade de vida no trabalho

Como pode-se perceber, a gestão de recursos humanos envolve questões que vão muito além da administração empresarial e procura agir ativamente em prol das pessoas para agregar, aplicar, recompensar, desenvolver, manter e monitorar.


O Coronavírus e o RH


As estratégias do RH encontraram um empecilho no ano de 2020. A pandemia do vírus Covid-19 levou o mundo todo a adotar políticas preventivas para controlar o seu avanço, alcançando no Brasil, atualmente, mais de 5,8 milhões de casos confirmados e mais de 166 mil óbitos. Esse cenário dificultou as ações dos recursos humanos, uma vez que, surgiram novas demandas e desafios diante do seu impacto.

Manter a comunicação entre os funcionários e a empresa, garantir produtividade e seguir inovando nas estratégias estão entre os desafios enfrentados pela área de gestão de pessoas diante o isolamento social. Além disso, o fator desemprego foi uma problemática. As empresas brasileiras se viram frente a uma readaptação e um corte de gastos para passar pelo período, o que gerou redução das jornadas de trabalho e salários, além de levar muitos brasileiros à situação de desemprego.

O RH, então, precisou lidar com duas questões emergenciais: a primeira, realizar o processo de encerramento das atividades de diversos funcionários; a segunda, lidar com o medo dos funcionários que permaneceram na empresa de serem os próximos a perder os seus empregos.


Como o RH pode manter a estabilidade em tempos de pandemia?


Há algumas estratégias que o RH pode adotar, neste período, para facilitar o seu próprio trabalho, o de outros colaboradores e, consequentemente, o funcionamento da empresa:


  • Manter o diálogo

O isolamento limita todos os agentes da empresa a executar as suas tarefas à distância. Para viabilizar o processo de comunicação, um bom gestor de RH deve ter a certeza de que as demandas da empresa estão sendo cumpridas pelos funcionários remotos. A única forma disso ocorrer com tranquilidade é manter a comunicação objetiva e horizontal.


  • Estimular a cooperação

Todos os agentes de uma organização são responsáveis, seja pelo seu sucesso ou fracasso. Diretores, gerentes e funcionários devem estar em harmonia e buscar compreender que os processos, durante este período, precisam ser conjuntos.


  • Humanizar a gestão de recursos humanos

Um bom gestor de recursos humanos compreende que a sua função mais difícil - e mais recompensadora - é lidar com as pessoas. E pessoas não são máquinas infalíveis! Tratar os funcionários da empresa em que você trabalha como um igual não custa nada, afinal, ele também tem problemas, sonhos e dificuldades.


  • Incentivar a transparência

Não existe mais espaço para achar que o chefe está insatisfeito com o seu colega de trabalho quando deu bom dia para todos menos para ele, correto? Esse item é, basicamente, uma continuação do "manter o diálogo": todos os agentes envolvidos devem ser honestos e transparentes uns com os outros no trabalho remoto, de tal forma que não haja dúvidas pairando e que possam trazer problemas maiores lá na frente.


  • A tecnologia é uma aliada, utilize!

O trabalho remoto exige uma certa flexibilidade, e os instrumentos tecnológicos não são mais uma distração no ambiente de trabalho, eles são o próprio meio de trabalho! Então, utilize-se das reuniões online e de outras ferramentas de integração que possam aproximar as pessoas e agilizar as tarefas.


  • Reavalie os indicadores de desempenho

O que é mais vantajoso para a empresa? Um funcionário que produz mais, em horários alternativos, ou um funcionário que cumpre os horários determinados pela empresa, mas não produz o suficiente? Os métodos para avaliar o desempenho dos funcionários devem ser coerentes com a cultura da empresa e, para estabelecê-los, o RH é muito importante.


O pós pandemia


Em um futuro próximo, esse período não será marcado apenas pelas dificuldades. Muito pelo contrário, o RH aprendeu e ainda aprenderá muito sobre as metodologias e estratégias que potencializam as pessoas e satisfazem as empresas.

Para isso, os gestores de recursos humanos devem manter um trabalho permanente no retorno para o ambiente físico. Monitorar os funcionários, verificar a sua adaptação e o seu desempenho, propor a disponibilidade de acompanhamento psicológico, além de garantir um processo contínuo de escuta e comunicação serão os fatores que definirão uma gestão mais eficaz e eficiente!



Por Gabriela Kern Donamore

Marketing Analyst, ELOFY