• Elofy

Carreira em Y e Carreira em W: qual é a diferença entre essas duas modalidades de carreira?



Para os profissionais que já estão no mercado de trabalho, há um certo tempo, escutar falar de planos de carreira é algo super normal. De forma simples e direta, pode-se dizer que eles são o caminho que se deve seguir para alcançar um crescimento dentro de um ramo específico, como, por exemplo, passar de supervisor a gerente de uma empresa. Porém, é importante destacar que existem dois tipos deles: os planos de carreira em Y e os planos de carreira em W. Não se trata de um ser melhor do que o outro, são apenas formas distintas que evoluíram a partir das carreiras mais convencionais.


O que é a carreira em Y?


Esta é aquela em que o profissional opta em seguir a carreira que estudou, ou seja, ele vai atuar no mercado de trabalho utilizando conhecimentos adquiridos durante seus anos de estudo. O termo Y está ligado ao formato da letra que demonstra um caminho linear até o ponto em que há uma bifurcação, indicando a possibilidade de escolha entre um caminho ou outro.

Na carreira em Y, caso o profissional tenha pretensões gerenciais, é possível dar continuidade ao seu plano de carreira habitual, bem como seguir aperfeiçoando conhecimentos. Já o profissional que deseja ser especialista em determinado setor, por exemplo, pode optar por ficar responsável por buscar soluções alternativas no desenvolvimento de produtos, projetos ou pesquisas.

A carreira em Y é indicada principalmente aos profissionais que possuem uma vasta bagagem de conhecimento teórico e prático, gostam de participar do desenvolvimento das atividades técnicas da organização e possuem visão inovadora e disruptiva. Além disso, a carreira em Y também pode ser recomendada para aqueles profissionais que não sabem lidar muito bem com liderança de equipes, motivação e desenvolvimento do capital humano.


O que é a carreira em W?


Este modelo de carreira consiste, basicamente, na junção de dois “YY”, dando a ideia de que existe, ainda, um terceiro caminho. Pode-se dizer que o W significa uma espécie de um zigue-zague, indicando que o profissional pode ser multifuncional, assumindo uma posição de comando e, ao mesmo tempo, se desenvolvendo em determinada área.

A carreira em W vem se tornando cada vez mais comum, pois permite ao profissional atuar tanto na frente de liderança quanto na frente técnica. Neste caso, a pessoa não precisa deixar de colocar a mão na massa para assumir uma posição de gestão na empresa. Um ótimo exemplo é a figura do gerente de projetos que assume o comando de equipes temporárias e, ainda assim, precisa ser um especialista em sua atividade.

Com a alta concorrência do mercado de trabalho e a demanda natural, os profissionais estão buscando cada vez mais se diferenciar. Por isso, se especializam em vários assuntos e procuram áreas diferentes de conhecimento para trabalhar.


Quais são as principais diferenças entre estes dois modelos de carreira?


Primeiro, a carreira em W parte da premissa de que um profissional pode ser realmente bom em diferentes coisas, ainda que isso demande habilidades diversas. O analista de banco de dados, por exemplo, pode também liderar a implantação de um sistema, pensando que ele precisará capacitar parte da sua equipe.

Já a carreira em Y afirma que é mais diligente focar em uma área específica, ou gerente ou especialista, mas não os dois. É preciso que o profissional escolha rapidamente o caminho no qual deseja prosseguir para manter o foco e o crescimento constantes.

É importante também destacar que, quando se opta pela carreira em W, é muito provável que o profissional esteja ora no comando, ora sendo delegado. Assim, não existe uma linha contínua.


Qual é o perfil mais comum?


Na hora de definir o modelo de carreira é muito importante pensar no perfil dos profissionais. Por exemplo, os jovens talentos - gerações Y, Z e Millennials - são comumente mais atraídos pela ideia da carreira em W.

Outras gerações como X e Baby Boomers, por exemplo, vão apreciar mais a estabilidade e a possibilidade de seguir em um mesmo cargo dentro da empresa. Por isto, a ideia de uma carreira em W nem sempre será a mais atraente para quem busca algo mais constante.


Os 10 passos para planejar sua carreira:


1. Avaliar: identifique seus interesses maiores, seus valores e ideais de vida.


2. Objetivos: estabeleça seus principais objetivos profissionais. Considere metas intermediárias.


3. Ações: defina quais serão suas ações em direção a esses objetivos.


4. Prazos: defina o tempo previsto para alcançar essas metas.


5. Informações: informe-se sobre o que acontece nesse mercado e que pode contribuir com os objetivos.


6. Olhar Crítico: entenda suas reais necessidades de desenvolvimento.


7. Estratégia: estabeleça sua estratégia e parta para a ação.


8. Controle: acompanhe seus resultados.


9. Adaptação: tenha flexibilidade e capacidade de análise para rever os planos.


10. Network e Multicultura: é importante conhecer e adaptar-se a culturas diferentes, bem como se relacionar com outras pessoas.


E aí, já sabe qual é o seu modelo de carreira? Ele é mais em Y ou em W?




Por Gabriela Kern Donamore


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo